Dino Saluzzi Group @Seixaljazz 2016

A música de Dino Saluzzi Group soou na primeira noite do SeixalJazz «em busca de um mundo mais fraterno». As palavras são do próprio Saluzzi e foram proferidas no inicio do segundo set  do concerto de abertura do festival.

«Feliz por partilhar a música» com membros da sua família, o compositor de bandoneón, instrumento esquecido na Argentina durante muito tempo pelas suas raízes populares, lembrou que «o tango ou o fado são tão especiais como a música erudita» e que «para os tocar há que estudar».

«A música não é feita pelos homens, é natural, vem da própria natureza», disse. A afirmação lembra outra, do escritor Jorge Luís Borges, conterrâneo de Saluzzi: «A música prescinde do mundo, poderia haver música e não mundo».  

Em entrevista, o músico fala também da importância do folclore e dos instrumentos autóctones para a diversidade cultural e do quanto a dedicação de um músico pode fazer pela divulgação desse mesmo instrumento e da cultura.